Regras complementares de acentuação gráfica

  • OS UU nas sequências QUE, QUI, GUE, GUI, não recebem mais acento gráfico nem trema. Ex.: arguem, argui(s), averigue, apazigue (u tônico); sequências, sagui, tranquilo (u átono).
Veja como eram escritas as palavras antes do Novo Acordo Ortográfico e como ficaram agora: 

ANTESDEPOIS
conseqüênciaconsequência
qüinqüênioquinquênio
freqüentefrequente
bilíngüebilíngue
lingüiçalinguiça

ATENÇÃO: O trema ( ¨ ) permanece apenas nas palavras estrangeiras e em suas derivadas. Ex.: Müller – mülleriano; Hübner – hübneriano.
  
ACENTOS DIFERENCIAIS
  •  plurais ‘têm’ e ‘vêm’ (e diriv.: detêm, convêm....). Ex.: ele tem de lutar pela paz mundial, eles têm de lutar pela paz mundial; o aluno vem de outro país, os alunos vêm de outro país.
  • pôde (pretérito perfeito) / pode (presente). Ex.: você pode aprender as regras. (presente), você pôde aprender as regras. (pretérito).
  • pôr (verbo) / por (preposição). Ex.: passei por muitos desafios. (preposição), vamos pôr tudo em ordem. (verbo).
  • substantivos ‘forma’ e ‘fôrma’ (facultativo/ uso contextual por coerência). Ex.: não sei qual é a forma da fôrma. Que forma (ou fôrma) esquisita!
Não recebem mais o acento diferencial as palavras:
  • para (verbo ou preposição);  
  • pólo (substantivo ou preposição arcaica);  
  • pêra (substantivo ou preposição);  
  • pelo (substantivo, preposição ou verbo); 
  • côa (verbo ou preposição contraída).
EMPREGO DO HÍFEN
  • O Novo Acordo Ortográfico prescreve o uso obrigatório do hífen em vocábulos prefixais cuja segunda palavra comece por h. Ex.: anti-higiênico, super-hoem, sub-humano (ou subumano, possui duas grafias); 
  • O Acordo não alterou a grafia desses vocábulos quando iniciados pelos prefixos “DES-IN-RE”. Ex.: DES + honra = desonra, in + hábil = inábil, re + habilitar = reabilitar.
OUTROS CASOS:
  • Prefixo terminado em vogal:
a) Sem hífen diante de vogal diferente: autoescola, antiaéreo;
b) Sem hífen diante de consoante diferente de r e s: anteprojeto, semicírculo;
c) Sem hífen diante de r e s. Dobram-se essas letras: antirracismo, antissocial, ultrassom;
d) Com hífen diante de mesma vogal: contra-ataque, micro-ondas.   
  •  Prefixo terminado em consoante
a) Com hífen diante de mesma consoante: inter-regional, sub-bibliotecário;
b) Sem hífen diante de consoante diferente: intermunicipal, supersônico;
c) Sem hífen diante de vogal: interestadual, superinteressante.
  •  Observações:
a) Com o prefixo sub, usa-se o hífen também diante de palavra iniciada por r sub-região, sub-raça etc. 
a) Palavras iniciadas por h perdem essa letra e juntam-se sem hífen: subumano, subumanidade.
c) Com os prefixos circum e pan, usa-se o hífen diante de palavra iniciada por m, n e vogal: circum-navegação, pan-americano etc.
d) O prefixo co aglutina-se em geral com o segundo elemento, mesmo quando este se inicia por o: coobrigação, coordenar, cooperar, cooperação, cooptar, coocupante etc.
e) Com o prefixo vice, usa-se sempre o hífen: vice-rei, vice-almirante etc.
f) Não se deve usar o hífen em certas palavras que perderam a noção de composição, como girassol, madressilva, mandachuva, pontapé, paraquedas, paraquedista etc.
g) Com os prefixos ex, sem, além, aquém, recém, pós, pré, pró, usa-se sempre o hífen: ex-aluno, sem-terra, além-mar, aquém-mar, recém-casado, pós-graduação, pré-vestibular, pró-europeu.

0 comentários:

Postar um comentário