Gramática - conceito, tipos e suas divisões

O certo é que, o quanto você deve enfatizar de Gramática no seu aprendizado depende do seu objetivo ao aprender a língua. Falar bem? Dar aulas? Passar em um concurso? Neste último caso, aprender bem a Gramática é essencial para estar entre os aprovados.
A maioria das pessoas costuma ter problemas com a Gramática — sabem um pouco, sabem mais ou menos ou têm algumas dúvidas. Poucas dominam as regras. Uma das razões para isso é a de que a gramática nem sempre é ensinada no momento ou com a metodologia adequada e tem-se uma experiência negativa com seu estudo. Além das limitações naturais, o problema muitas vezes é agravado pela inabilidade dos professores — geralmente presos a um currículo rígido.

O fato é que a maioria das pessoas ainda guarda a impressão de que gramática é uma porção de regras chatas que precisam ser decoradas. Mas não é nada disso: Há lógica nas normas gramaticais e uma coerência fascinante, que é, aliás, a própria beleza da língua. Neste blog abordaremos os principais assuntos gramaticais que constam nos editais de Concursos Públicos de maneira simples e objetiva.
Nosso objetivo é descomplicar o estudo da Gramática e possibilitar aos estudantes o conhecimento das regras de funcionamento da Língua Portuguesa, quanto aos aspectos fonológico, morfológico, sintático, semântico e estilístico.

Conceito e tipos de gramática
O iDicionário Aulete, lista e conceitua os seguintes tipos de Gramáticas:
  • Gramática comparada/comparativa - "Parte da linguística que compara as estruturas morfológicas e fonéticas de línguas diferentes, ou de estágios diferentes de uma mesma língua";
  • Gramática descritiva - "A gramática tradicional de uma língua em um momento (sincrônica).Descrição completa e objetiva de todos os elementos de uma língua em um momento (sincrônica), em qualquer de suas variantes, tais como se apresentam nos enunciados produzidos, numa dessas variantes, por qualquer grupo de seus falantes nativos, sem filtros, críticas, correções etc. provindos de outras variantes possíveis; gramática expositiva";
  • Gramática gerativa/generativa - "Descrição de uma língua segundo um modelo formal de regras fixas e explícitas, capaz de gerar todas as - e somente - frases gramaticais dessa língua.Especificamente, teoria sintática gerativista do filólogo Noam Chomsky";
  • Gramática histórica - "A parte da gramática que trata da evolução histórica dos sistemas de uma língua (fonético, morfológico, gramatical)";
  • Gramática normativa - "Estudo dos elementos de uma língua a partir de normas que não podem ser transgredidas, e que determinam o que usar e o que não usar, como e como não usar, estabelecendo com isso um padrão de correção a ser observado no que considerar falar e escrever bem; gramática prescritiva";
  • Gramática prescritiva - "Ver Gramática normativa e Gramática tradicional. Modelo de estudo dos elementos de uma língua originado no do grego e do latim, e anterior à linguistica";
  • Gramática transformacional - "A gramática gerativa, nela considerada também a ideia de transformação da língua de sua estrutura profunda (a noção abstrata do que ela quer exprimir) para sua estrutura superficial (o uso efetivo se seus elementos, em nível de frase - palavras. elementos e estrutura sintática -, para expressá-lo)";
  • Gramática universal - "Na visão do filólogo Noam Chomsky, a faculdade do homem que permite, em certa fase de seu desenvolvimento mental e o de seu contexto social, adquirir a linguagem materna (a que esteve exposto nos estágios mentais iniciais da vida). Conjunto de princípios universais aos quais se condicionam a forma e o funcionamento de qualquer gramática".
Neste blog, iremos estudar apenas a Gramática normativa, pois esta é a Gramática cobrada nos concursos, vestibulares e Enem. A Gramática Normativa, como já vimos, é a "que busca ditar, ou prescrever, as regras gramaticais de uma língua, posicionando as suas prescrições como a única forma correta de realização da língua, categorizando as outras formas possíveis como erradas" (Wikipédia) .

A Gramática Normativa estabelece a norma culta, ou seja, o padrão linguístico que, socialmente, é considerado como modelo. Em síntese, aponta as regras para se falar e escrever corretamente, fixa os padrões do certo ou errado, as normas cultas, fixa o padrão formal da linguagem através do estudo das regras de funcionamento da língua, quanto aos aspectos fonológico, morfológico, sintático, semântico e estilístico.

Bem diferente da Gramática normativa, a Gramática descritiva descreve e analisa a língua utilizada por um determinado grupo de pessoas num dado momento histórico. Propõe-se a descrever as regras da língua falada, não levando em conta o conceito de “certo” ou “errado”, uma vez que não são os gramáticos que fazem a língua, e sim, o povo. Estuda, do ponto de vista histórico, as manifestação linguística de um determinado grupo de falantes. Trata das variações linguísticas, das ocorrências de linguagem, como o modo de falar de cada região (nordeste, mineiro, bahiano); variações diatrásticas (classes sociais), variações diatópicas (de acordo com a região, com a geografia do lugar).

Divisões da Gramática
Sabe-se que a língua é um sistema tríplice: compreende um sistema de formas (mórfico), um sistema de frases (sintático) e um sistema de sons (fônico). Por essa razão, a Gramática tradicionalmente divide-se em três partes básicas e em duas partes complementares:
  • Fonética/Fonologia (focaliza o sistema fônico) - Estuda os sons da fala (fonemas), a correta pronúncia dos vocábulos (ortoépia e a prosódia, partes integrantes da ortofonia) e a escrita correta das palavras (ortografia),
  • Morfologia (abrange o sistema mórfico) - Parte da gramática que trata do estudo da estrutura das palavras, dos processos de formação de palavras e do estudo das classes gramaticais. As classes gramaticais são as seguintes: Substantivo, Artigo, Adjetivo, Numeral, Pronome, Verbo, Advérbio, Preposição, Conjunção e Interjeição.
  • Sintaxe (enfoca o sistema sintático)- Parte da gramática que estuda a disposição das palavras na frase e das frases no discurso, incluindo a sua relação lógica, entre as múltiplas combinações possíveis para transmitir um significado completo e compreensível.
  • Semântica – “Estuda o significado e a interpretação do significado de uma palavra, de um signo, de uma frase ou de uma expressão em um determinado contexto. Nesse campo de estudo se analisa, também, as mudanças de sentido que ocorrem nas formas linguísticas devido a alguns fatores, tais como tempo e espaço geográfico” (Só Português).
  • Estilística – “Segundo o dicionário Houaiss, é a arte de escrever de forma apurada, elegante. Para outros estudiosos, é a disciplina que estuda os recursos expressivos que individualizam os estilos. Podendo, ainda, ser definida como uma conexão histórica entre a Poética e a Retórica” (Português).
Neste blog trataremos de cada uma dessas partes em separado, buscando clareza e objetividade na escrita.

E Você?
Qual é o seu objetivo ao estudar Gramática? Falar bem? Dar aulas? Passar em um concurso público? Qual a sua opinião sobre a Gramática Normativa? Ela facilita ou dificulta o aprendizado da Língua?

3 comentários:

  1. PARABÉNS PELO TRABALHO DE VOCÊS! PRICIPALMENTE, NO QUE TANGE À VLALORIZAÇÔ DOS ESTUDOS DA NOSSA QUASE ESQUECIDA LÍNGUA PORTUGUESA!
    Prof. Romeu Agostinho (Neném)

    ResponderExcluir
  2. Parabéns, oportunidade para muitos que não tem a unidade de um cursinho preparatório

    ResponderExcluir