Denotação e conotação, sentido real e sentido figurado

    "Denotação e conotação são as duas possibilidades de significados das palavras. Não podemos esquecer que, antes de tudo, um texto é constituído de palavras. E se pretendemos compreender e interpretar um texto, devemos conhecer as diversas possibilidades de empregos dessas palavras. 

    Já vimos que o uso da língua faz com que elas se torne viva, dinâmica. Palavras novas são criadas para conceituar novas dimensões que outras palavras deixam de ser usadas quando a prática social em que estavam inseridas desaparecem. 


    Mas a vida das palavras não podem ser resumidas em seu nascimento e sua morte. Enquanto utilizada, viva, a palavra também passa por modificações, adquire novos significados e, dependendo do contexto, pode apresentar-se um significado totalmente diferente do seu significado original. 

    Assim, é muito importante que o bom leitor entenda qual era a intenção do autor quando ele selecionou e empregou determinadas palavras em determinados contextos. Para entendermos com que sentido em que a palavra foi empregada, é importante conhecermos suas duas possibilidades de significados. Uma palavra pode ser empregada no sentido denotativo ou no sentido conotativo. Vamos ver cada uma delas."¹
    Sentido real: a palavra usada em seu sentido mais comum. O sentido real, também conhecido como literal (ou significado “ao pé da letra”), usado quando não se quer gerar dúvidas de interpretação, é veiculado em textos informativos (notícia, reportagem), artigos científicos, no dicionário, entre outros.
    Sentido figurado: uso criativo da palavra, diferente do convencional, que estabelece associações/comparações para atribuir aos vocábulos novos significados. O sentido figurado é constantemente usado no cotidiano nos “ditados populares” e nas “expressões idiomáticas”. Poetas, músicos e escritores de diferentes gêneros literários costumam utilizar a palavra no sentido figurado.
    Uma palavra é empregada no sentido denotativo quando ela for utilizada no seu sentido real, no seu significado original, seu sentido próprio. Aquele sentido que consta no dicionário e que não depende do contexto para ser entendida. Quando dizemos por exemplo que o Dr. Victor Frankenstein criou um monstro, estamos empregando a palavra monstro no seu sentido literal, original. O cientista criou um ser descomunal, disforme, ameaçador.
    Se a palavra for empregada em um sentido diferente daquele do sentido original, com uma significação que depende do contexto para ser entendida, dizemos, então, que a palavra foi empregada no sentido conotativo. Analise emprego da mesma palavra monstro nesta frase: "Jackson do Pandeiro é um MONSTRO sagrado da música popular brasileira". Perceba que, nesse exemplo, a palavra foi utilizada no sentido diferente da original. Monstro vem mais num sentido de um ser disforme, mas, por um processo de analogia emprega-se aqui a palavra monstro no sentido de alguém que se destaca, que é descomunal, alguém que sai do comum, não por ser uma aberração, uma deformidade, mas por ser um gênio naquilo que faz.
    Analise as frases abaixo e identifique a denotação e a conotação:
       Gramática para concursos
    • O menino quebrou a vidraça.
    • A garota quebrou o silêncio.
    • Uma pedra rolou da escada.
    • Aquela pessoa é uma pedra no meu sapato.
    • As estrelas do céu brilhavam.
    • As estrelas do cinema brilhavam.
 Leia também:
Compreensão e interpretação de textos nos concursos públicos  Diferença entre compreensão de texto e interpretação de texto Linguagem, língua e fala - a tríade que constitui a comunicação 

0 comentários:

Postar um comentário