Conjunções

Conceito
Considere a seguinte frase, formada por três orações:

As horas passam, os homens caem, a poesia fica. (E. Moura)
<![endif]-->       oração 1                oração 2           oração 3

Vamos acrescentar a ela as palavras e e mas:

As horas passam e os homens caem, mas a poesia fica.
        oração 1               oração 2                oração 3

Observe:
    • A palavra e está ligando as orações 1 e 2;
    • A palavra mas está ligando as orações 2 e 3.
    • Essas duas palavras (e e mas) são exemplos de conjunção.
    Considere, agora, esta outra frase:

    Miséria e medo são o cotidiano de milhares de crianças brasileiras.
             sujeito

    Observe:
    O e está ligando duas palavras equivalentes, isto é, duas palavras de mesma função na oração. Ele está funcionando como conjunção.

    Conjunções são palavras invariáveis que unem orações ou termos semelhantes (de mesma função sintática). Assim, uma conjunção liga:
    • duas orações;
    • duas palavras de mesma função em uma oração.
    • João e Sérgio são grandes empreendedores. (ligando dois núcleos do sujeito, termos de mesma função sintática)
    • João é pernambucano e Sérgio é cearense. (ligando orações coordenadas entre si)
    Não se deve apenas conhecer todas as conjunções, é preciso ficar atento ao contexto da frase., pois uma mesma conjunção pode exercer valores semânticos diferentes. É preciso saber a que grupo pertence uma determinada conjunção e quais são os sinônimos dessa conjunção.

    LOCUÇÕES CONJUNTIVAS: Duas ou mais palavras empregadas com valor de conjunção. Ex.:
    • se bem que, a fim de que, ainda que, à medida que...

    CLASSIFICAÇÃO DAS CONJUNÇÕES
    Para se ter um bom domínio sobre o estudo das conjunções é preciso também estar bastante atento às relações lógico-discursivas (relações lógicas dentro do discurso da frase: causa, consequência, explicação, finalidade, etc.) por elas estabelecidas.

    CONJUNÇÕES COORDENATIVAS 

    CONCLUSIVAS
    • Valores semânticos: conclusão, fechamento, finalização:
      • Logo, portanto, por isso, por conseguinte, pois (posposto ao verbo), então, destarte, dessarte...
        • Ex.: Estudamos muito, portanto passaremos no concurso.

    OBSERVAÇÃO: A conjunção “pois”, pode ser explicativa (pode ser substituída por “porque”) ou conclusiva.  
    • Ex.:
      • Estamos estudando muito, pois queremos passar nas provas. (explicação)
      • Queremos passar nas provas. Precisamos, pois, estudar muito. (conclusão).

    ADITIVAS
    • Valores semânticos: adição, soma, acréscimo:
      • E, nem (e não), não só... mas também, mas ainda, como também, ademais, outrossim, etc.
        • Ex.: Estudaram muito e passaram no concurso.

    ADVERSATIVAS
    • Valores semânticos: oposição, contraste, adversidade, ressalva:
      • Mas, porém, entretanto, todavia, contudo, no entanto, não obstante, inobstante, senão (= mas sim)...
        • Ex.: Não estudou muito, mas passou nas provas.

    ALTERNATIVAS
    • Valores semânticos: alternância, escolha ou exclusão:
      • Ou...ou; ora...ora, já...já, seja...seja, quer...quer, não...nem etc.
        • Ex.: Ora estudava, ora trabalhava.

    EXPLICATIVAS
    • Valores semânticos: explicação, justificativa, motivo, razão:
      • Porque, pois (antes do verbo), porquanto, que...
        • Ex.: Vamos indo, que já é tarde. 

    OBSERVAÇÃO:
    Há gramáticos que tratam as conjunções explicativas associadas às causais, que são subordinativas. O valor semântico de explicação e causa andam muito próximos. “Porque” e “porquanto” indicam explicação, mas também podem indicar causa.

    A conjunção “e” (aditiva) pode aparecer com valor adversativo.
    • Ex.: É ferida que dói e não se sente” (Camões). (= mas)
    A conjunção “mas” (adversativa) pode aparecer com valor aditivo.
    • Ex.: Era um homem trabalhador, mas principalmente honesto. (além de ser trabalhador ele também é honesto, uma qualidade se soma à outra)

    CONJUNÇÕES SUBORDINATIVAS

    TEMPORAIS
    • Valores semânticos: tempo (ou temporalidade), relação cronológica.
      • Logo que, quando, enquanto, até que, antes que, depois que, desde que, desde quando, assim que, sempre que etc.
      • Ex.:
        • Enquanto todos dormiam, eu estudava. (temporal)
        • Desde que ele chegou não para de reclamar. (temporal)
          • Você pode sair desde que termine o trabalho. (condicional)

    CONDICIONAIS
    • Valores semânticos: condição 9condicionalidade), pré-requisito, hipótese, algo supostamente esperado.
      • Se, caso, desde que, contanto que, exceto se, salvo se, a menos que, a não ser que...
        • Ex.: Se você estudar muito, passará nas provas.

    PROPORCIONAIS
    • Valores semânticos: proporção, proporcionalidade, simultaneidade, concomitância
      • À medida que, à proporção que, ao passo que, quanto mais (ou menos), mais/menos (quanto mais, quanto menos), tanto mais (ou menos), mais/menos (tanto mais, tanto menos) etc.
        • Ex.: À medida que estudava, aprendia o assunto das provas.

    FINAIS
    • Valores semânticos: finalidade, objetivo, intenção, intuito.
      • A fim de que, para que, que e porque (= para que), etc.
        • Ex.: Fazemos tudo, a fim de que você passe nas provas.

    CAUSAIS
    • Valores semânticos: causa (ou causalidade), motivo, razão.
      • Porque, porquanto, como, uma vez que, visto que, já que, posto que, por isso que etc.
        • Ex.: Já que você vem se dedicando bastante aos estudos, suas chances de aprovação em concursos são enormes.

    CONSECUTIVAS
    • Valores semânticos: consequência, resultado, produto.
      • Que (precedido de tal, tão, tanto, tamanho), sem que, de sorte que, de modo que, de forma que, de maneira que, que (equivalendo a sem que) etc.
        • Ex.: Falou tanto que ficou rouco.
      • Observação: Relação de causa-consequência – é de natureza sintático-semântica (valor que a palavra adquire em seu contexto de uso) e independe da classificação sintática do período. 
      • Ex.: 
        • Falou tanto (causa) que ficou muito rouco (consequência).
        • Vamos logo (consequência), pois já é tarde (causa).

    CONCESSIVAS
    • Valores semânticos: concessão, contraste, consentimento, licença, quebra de expectativa, oposição
      • (muito) embora, ainda que, se bem que, mesmo que, mesmo quando, posto que, apesar de que, conquanto, malgrado, não obstante, inobstante, em que pese...
        • Ex.: Embora discordasse, aceitei suas condições. 

      •  OBSERVAÇÃO: As conjunções concessivas indicam oposição, contraste. Cuidado para não confundi-las com as coordenativas, as adversativas. A concessão está vinculada a uma permissão mediante quebra de expectativa.

    CONFORMATIVAS
    • Valores semânticos: conformidade, consonância, igualdade/semelhança, concordância...
      • Conforme, como, segundo, consoante, que (todas com o mesmo valor de “conforme”).
        • Ex.: Todo saiu conforme combinamos.

    COMPARATIVAS
    • Valores semânticos: comparação, analogia, paralelo...
      • Como, assim como, mais... (do) que, menos... (do) que, tão... como (ou quanto), tanto... quanto..., qual ou como (precedidos de tal)...
        • Ex.: Ele dorme como um urso. (dorme) 

      • OBSERVAÇÃO: Sempre que houver uma conjunção comparativa o período é composto porque depois dela há outro verbo escondido: “Ele dorme como um urso dorme”.

    CONJUNÇÕES SUBORDINATIVAS INTEGRANTES
    • Que, se, quando, quanto(a)(s), onde, qual, quem...
    • Quando iniciarem oração ‘equivalente’ aos pronomes “isso, esse(a)(s
      • Ex.: 
        • Necessito de que me ajudem. (=Necessito disso) 
        • Pergunto se tudo estava bem. (=Perguntou isso)
        • Perguntou quando ela irá chegar.
        • Perguntou quanto custa a casa. 
        • Perguntou onde você estava. 
        • Perguntou qual era a sua idade. 
        • Perguntou quem iria sair com você.

    OBSERVAÇÃO: Conjunção integrante x pronome relativo:
      • Pronome relativo: QUE – quando pode ser trocado por “o (a) (s) qual (is)”.
      • Ex.:  
        • O livro que eu li é ótimo. (que = o qual) 
        • As pessoas que conheço são maravilhosas. (que = as       quais)
    • Conjunção integrante: QUE – quando pode ser trocado por “isso/esse (a)”
      • Ex.: Estou certo de que você passará nas provas. (=Estou certo disso)

0 comentários:

Postar um comentário