Complementos verbais

Complementos verbais são os termos que completam o sentido de verbos transitivos diretos (VTD) e transitivos indiretos (VTI) e podem ser objeto direto (OD) e objeto indireto (OI).
  • Ex.: 
    • Os alunos compraram dois livros. (Quem compra, compra algo, alguma coisa. O verbo é transitivo direto. "dois livros" é o termo que completa o sentido expresso do verbo "comprar", sem o uso de preposição).
    • Candidatos precisam de motivação. (O verbo "precisar" exige a preposição "de": quem precisa, precisa de algo, de alguma coisa. Logo, a expressão "de motivação" é objeto indireto).

O objeto direto completa o sentido do verbo transitivo sem o uso de preposição, ou seja, se liga diretamente ao verbo transitivo.O objeto indireto completa o sentido do verbo com o auxílio de preposição, ou seja, se liga ao verbo transitivo através de preposição. O próprio verbo exige o uso de preposição.

A maneira mais fácil de identificar o objeto direto é encaixá-lo no seguinte esquema: Quem________algo ou alguém ou alguma coisa
  • Ex.: 
    • As professoras ajeitaram as crianças carinhosamente. (quem ajeita, ajeita algo, alguma coisa ou alguém).
    • Leio, em média, 40 livros por ano. (quem lê, lê algo).
Para identificar o objeto indireto deve-se usar o seguinte esquema: Quem_________de algo ou a alguém ou em alguma coisa.
  • Ex.: 
    • Creia em mim, pois sou fiel. (Quem crê, crê em algo ou em alguém ou em alguma coisa).
    • Obedeça aos regulamentos da empresa. (Quem obedece, obedece a alguém).
PRONOMES OBLÍQUOS NA FUNÇÃO DE OBJETO
Os pronomes pessoais oblíquos o, a, os, as (lo, la, los, las, no, na, nos, nas) funcionam como objeto direto.
  • Ex.: 
    • O trovão abalou a cidade. (O tovão abalou-a.)
    • Chamaram a diretora para a reunião. (Chamaram-na para a reunião.)
    • Irei ver os meninos mais tarde. (Irei vê-los mais tarde.)
O pronome pessoal oblíquo lhe(s) funciona como objeto indireto. Lembre-se: usa-se lhe sempre que o verbo exigir a preposição a e se referir a pessoa.
  • Ex.:
    • Respondi tudo ao delegado. (Respondi-lhe tudo.)
    • Nós oferecemos um presente ao rapaz. (Nós lhe oferecemos um presente.)
    • Concederam aos operários um aumento salarial. (Concederam-lhes um aumento salarial.)
 O pronome lhe(s) pode ser utilizado em duas situações:

1) Quando o verbo exigir a e se referir a pessoa.
  • Ex.: 
    • Obedeço ao diretor. (Obedeço-lhe.)
ATENÇÃO: Não se deve dizer "Eu lhe vi", por que o verbo "ver" não exige a preposição a. Diga: "Eu o vi", "Eu a vi", "Eu vi você". Igualmente não se deve dizer "Eu lhe conheço". Diga: "Eu o conheço", "Eu a conheço", "Eu te conheço".

2) O lhe também pode ser usado como pronome possessivo (dele(a)(s). Sempre que perceber que o "lhe" pode ser trocado por dele, dela, deles, delas. Nestes casos o "lhe" não é objeto, e sim, adjunto adnominal.
  • Roubaram-lhe o livro. (Roubaram o livro dele/a.)
  • É importante levantar-lhe a auto estima. (...levantar a auto estima dele/a).
Os demais pronomes pessoais (me, te, se, nos, vos) variam de função conforme a transitividade do verbo.
  • Ex.:
    • Eles nos amam. (Quem ama, ama alguém - OD)
    • Eles nos obedecem. (Quem obedece, obedece a alguém - OI)
    • Eles me chamaram. ( Quem chama, chama alguém - OD)
    • Eles me perdoaram. (Quem perdoa, perdoa a alguém - OI)
 OBJETO DIRETO PREPOSICIONADO
  • Esquema prático: VTD + preposição ("intrusa")
    • Ex.: 
 Amar ao próximo
   VTD           OD preposicionado

Comemos do bolo.
      VTD           OD preposicionado

O verbo é transitivo direto + preposição: "Quem ama, ama alguém", "Quem come, come algo". O verbo direto não exige preposição, a preposição é intrusa, porque se for retirada da frase não fará falta alguma para a compreensão do enunciado: "Amar o próximo", "Comemos o bolo". Observe que o verbo comer, assim como beber, se comportam semanticamente diferentes com ou sem a preposição: Comemos o bolo (comemos o bolo todo), Comemos do bolo (comemos uma parte do bolo).

DIFERENÇA ENTRE OBJETO DIRETO PREPOSICIONADO E OBJETO INDIRETO
  • Objeto direto preposicionado é complemento de um verbo transitivo direto, isto é, um verbo que não exige a presença da preposição.
    • Ex.: 
      • Amar a Deus sobre todas as coisas. Você ama alguém, alguma coisa. Pode-se dizer "Amar Deus sobre todas as coisas", sem a preposição "a", porque o verbo amar não exige preposição.
  • Objeto indireto é complemento de um verbo transitivo indireto, isto é, que exige a presença da preposição.
    • Ex.: 
      • Ele precisa de apoio em todos os momentos. Você precisa de alguma coisa, de algo. A preposição de é imprescindível neste caso, se retirá-la a frase ficará sem nexo: "Ele precisa apoio em todos os momentos".
O objeto direto preposicionado ocorre principalmente:
  • Quando é formado por vocábulos relativos a pessoas.
    • Ex.: 
      • Amar ao próximo com a si mesmo.
      • Não prejudiques a Paulo em favor de Júlio.
  • Quando é formado de pronome indefinido.
    • Ex.:
      • A notícia sensibilizou a todos.
  • Quando é formado do pronome quem (relativo ou indefinido).
    • Ex.:
      • Não reconheci a mulher a quem visitamos.
      • Não soube a quem cumprimentar primeiro.
  • Quando se deseja evitar a ambiguidade na frase.
    • Ex.:
      • Enganou ao povo aquele  político.
      • Traiu ao pai o filho mais velho.
  • Quando se quer dar ideia de parte, porção.
    • Ex.: 
      • Comi de sua comida e bebi do seu vinho.
  •  Quando é formado de um pronome pessoal oblíquo tônico.
    • Ex.: 
      • Não ouvíamos a ti nem a ele.
      • Não prejudiques a mim.
 Observação: Formas pronominais correspondentes: me - a mi; te - a ti; se - a si. É importante lembrar que todos os verbos são transitivos diretos. Os pronomes a mim e a ti são oblíquos tônicos. Quando se retira a preposição, nesse caso, usa-se a forma equivalente, correspondente: Não te ouvíamos a ti nem a ele, Não me prejudiques.

OBJETOS PLEONÁSTICOS
São os objetos que, por motivo de ênfase, aparecem repetidos.
  • Objeto direto pleonástico:
    • Ex.:   
      • Este livro, eu o li semana passada.  O pronome o repete a informação este livro. Pode-se dizer: Eu li este livro... ou Eu o li.... O pronome o é objeto direto pleonástico.
      • Meus sobrinhos, eu não os vi ontem. Pode-se se dizer: Eu não vi meus sobrinhos... ou Eu não os vi...
  • Objeto indireto pleonástico:
    • Ex.:
      • Ao réu, o juiz lhe perdoou. ("Ao réu": OI; "lhe": OI Pleonástico)
      • A mim, ensinaram-me todo o assunto. ("A mim": OI; "me": OI Pleonástico)

0 comentários:

Postar um comentário