Home » » Orações coordenadas

Orações coordenadas

Banho-maria
Amor não deve ser mantido em banho-maria pois seus poderes de luz e encatamento se esvaem neste lento cozinhar amor pede fogo alto grossas chamas sol intenso e muita pimenta amor pede tempero forte pede tudo em exagero mel de se lambuzar (Fruta no ponto - São Paulo: FTD, 1994, p. 39)

O título do poema de Roseana Murray é Banho-maria. A expressão "lento cozinhar" mostra uma característica do modo de cozinhar em banho-maria No poema, o eu lírico contrapõe duas mnaieras de manter o amor: em banho-maria e em fogo alto, este ainda somado a pimenta e tempero forte.

Nos versos seguintes do poema, há um período composto por coordenação: 

Amor não deve ser mantido em banho-maria / pois seus poderes de luz e encatamento se esvaem neste lento cozinhar.                        1ª oração                                                                         2ª oração

Observe que nesse período as orações não funcionam como termos de outra oração. São orações independentes do ponto de vista sintático, ou seja, são orações coordenadas, formando um período composto por coordenação.
Note também que a 1ª oração não apresenta conjunção e, por isso, são chamadas de coordenada assindética. Já a 2ª oração, liga-se à anterior por meio da conjunção pois, sendo, por isso, denominada coordenada sindética.
LEMBRE-SE!
ORAÇÃO COORDENADA ASSINDÉTICA É AQUELA QUE NÃO É INTRODUZIDA POR CONJUNÇÃO.
ORAÇÃO COORDENADA SINDÉTICA É AQUELA QUE É INTRODUZIDA POR CONJUNÇÃO.

Valores semânticos das orações coordenadas sindéticas
As orações coordenadas sindéticas estabelecem relação com outra oração e classificam-se de acordo com o valor semântico da conjunção que as introduz. 

ADITIVAS
Estabelecem, em relação à outra oração uma noção de acréscimo, de adição. São introduzidas pelas conjunções coordenativas aditivas: e, nem, que, ou pelas locuções não só... mas (também), tanto... como, etc. Exemplo:
    • Ele comprou passagem e partiu no primeiro trem.
ADVERSATIVAS
Estabelecem, em relação à oração anterior, uma idéia de oposição, contraste, compensação, resalva. São introduzidas pelas conjunções coordenativas: mas, porém, todavia, contudo, no entanto, entretanto, senão, etc. Exemplo:
    • Estuda, mas não compreende.
ALTERNATIVAS
Expressãm fatos ou conceitos que se excluem ou se alternam entre si. São introduzidas pelas conjunções coordenativas alternativas: ou... ou, ora... ora, já... já, quer.. quer, etc. Exemplo:
    • Todas as tardes ia ao cinema ou fazia pequenas compras em lojas da região.
CONCLUSIVAS
Exprimem uma idéia de conclusão ou consequência lógica em relação a um fato expresso na oração anterio. São introduzidas pelas conjuções conclusivas: logo, pois (posposto ao verbo), portanto, por isso, de modo que, etc. Exemplo:
    • Seu amigo está triste e decepcionado; você, deve, portanto, confortá-lo nesse momento difícil.
EXPLICATIVAS
Explicam o motivo da declaração feita na oração anterior. São introduzidas pelas conjunções coordenativas explicativas: porque, que, pois (anteposto ao berbo), etc. Exemplo:
  • Volte logo, porque eu preciso de você.



    Imagem: http://www.mundoeducacao.com.br/gramatica/oracao-coordenada.htm

0 comentários:

Postar um comentário