Exercícios de Língua Portuguesa - Nível Fundamental (1)

Leia o texto abaixo e responda às questões de 1 a 3.

TEXTO - CIDADEZINHA QUALQUER 

Casas entre bananeiras
mulheres entre laranjeiras 
pomar amor cantar.
Um homem vai devagar. 
Um cachorro vai devagar. 
Um burro vai devagar. 
Devagar... as janelas olham.        
Eta vida besta, meu Deus.
(Carlos Drummond de Andrade)  

QUESTÃO 1

Todas as características citadas abaixo podem ser identificadas no poema de Drummond, exceto:
(A) Reaproveitamento do popular e do coloquial, a linguagem é simples, fácil, próxima da expressão oral.
(B) Concepção do poético como um texto complexo; um discurso fora da realidade da vida cotidiana.
(C) Crítica ao mundo rural, ao universo primitivo, distante do progresso, da civilização mecânica e industrial.
(D) Interesse pelo homem comum, pela ordem social e pela vida cotidiana.

QUESTÃO 2
No verso: “ Devagar... as janelas olham. O termo grifado é:
(A) Sujeito composto.
(B) Sujeito oculto.
(C) Sujeito inexistente.
(D) Sujeito simples.

QUESTÃO 3
As palavras presentes no poema: “casas, mulheres, homem,  cachorro e  burro
(A) São todas “adjetivos”.
(B) São todas “verbos”.
(C) São todas “substantivos”.
(D) São todas “advérbios”.  


QUESTÃO 4
A Língua Portuguesa é um sistema organizado que permite ao falante usá-la ao longo do cotidiano de sua vida. Considerando a organização gramatical, marque a alternativa em que a numeração aparece correta.
01. Substantivo 
02. Adjetivo 
03. Verbo 
04. Advérbio 
05. Numeral 
06. Pronome 
07. Artigo 


(    ) Determina ou indetermina o substantivo
(    ) Indica quantidade
(    ) Qualifica o substantivo
(    ) Substitui ou acompanha o substantivo
(    ) Dá nome aos seres em geral
(    ) Palavras que expressam ações ou estado

(A) 07; 04; 02; 01; 05; 03.
(B) 07;05; 02; 06; 01; 03.
(C) 07; 01; 02; 03; 05; 03.
(D) 07; 06; 05; 04; 03; 02.

QUESTÃO 5
T E X T O
O mendigo se aproxima de uma madame, cheia de sacolas de compras, no centro da cidade e diz: _ Senhora, estou sem comer faz quatro dias... _ Meu Deus! Gostaria de ter sua força de vontade!

Do que pode ser dito do texto, assinale a alternativa incorreta.            
(A) A intencionalidade discursiva ocorre em todas as situações de comunicação, pois sempre há uma intenção, clara ou subentendida.
(B) Em algumas situações, as pessoas entendem o que dizemos ou escrevemos de maneira diferente do que era nosso objetivo.
(C) A maneira como nos expressamos revela exatamente o que queremos dizer ou saber, sempre.
(D) Considerando o viés do discurso, a madame não decodificou a mensagem dita pelo mendigo.  

QUESTÃO 6
T E X T O - Música: Amanhã (Guilherme Arantes)

Amanhã Será um lindo dia Da mais louca alegria Que se possa imaginar

Com base no texto acima, marque a alternativa correta:
(A) Há um adjetivo.
(B) Há dois adjetivos.
(C) Há três adjetivos.
(D) Há quatro adjetivos.

QUESTÃO 7
Assinale a alternativa correta:
“Coçou de leve”, “virou a pontinha da chave com beatitude”, “ a cabeça  lentamente se abria” .  

O que nos indicam as expressões destacadas? 

(A) Certeza.
(B) Instrumento.
(C) Maneira.
(D) Intensidade.

QUESTÃO 8
Assinale a palavra que está graficamente acentuada pela mesma regra que determina o acento em médico.
(A) Pétala.
(B) Modéstia.
(C) Mágoa.
(D) Sabiá. 


QUESTÃO 9

T E X T O - Aquarela brasileira (Silas de Oliveira)
Passeando pelas cercanias do Amazonas 
Conheci vastos seringais 
No Pará, a Ilha de Marajó   
E a velha cabana do Timbó 
Caminhando ainda um pouco mais, 
Deparei com lindos coqueirais   
Estava no Ceará, terra de Irapuã, 
De Iracema e Tupã
Marque a alternativa que corretamente define a palavra em destaque no texto (“Seringais”).
(A) É o nome dado a uma comida típica indígena.
(B) É o nome dado a um animal que vive somente na Floresta Amazônica.
(C) É o nome dado a uma tribo indígena do Estado do Mato Grosso do Sul.
(D) É o nome dado a um conjunto de seringueiras que produzem uma substância usada na produção de borracha.

QUESTÃO 10
T E X T O
Um leão dormia espichado debaixo da sombra boa de uma árvore. 
Veio um rato e começou a passear no corpo daquele poderoso animal. O felino não tardou a despertar e pegou o ratinho com uma de suas patas. 
Assustado, o pequeno roedor implorou: 
- Ó, por favor, não me mate. Peço-lhe que me deixe ir. Se o fizer, um dia poderei ajudá-lo de alguma maneira. 
O leão desistiu de esmagar o animalzinho e deixou que fosse embora. 
Algum tempo depois, o leão ficou preso na rede de uns caçadores. Nisso apareceu o ratinho, roeu as cordas e o soltou.

Marque alternativa que melhor representa a moral da história:
(A) Uma boa ação ganha outra.
(B) O feitiço virou contra o feiticeiro.
(C) Quem tem boca vai a Roma.
(D) O silêncio é a melhor arma.

QUESTÃO 11
Marque a alternativa em que todas as palavras são verbos:
(A) tardou, implorou, somente.
(B) desistiu, deixou, embora.
(C) passear, despertar, esmagar.
(D) dormia, começou, poderoso.

QUESTÃO 12
Na frase: Nisso apareceu o ratinho, roeu as cordas e o soltou, tem...
(A) Dois dígrafos.
(B) Seis encontros consonantais.
(C) Um substantivo próprio.
(D) Quatro verbos.

QUESTÃO 13
Há no texto palavras que podem substituir as palavras: leão e rato? Quais?
(A) gato e ratinho.
(B) animalzinho e rede.
(C) felino e roedor.
(D) patas e cordas.

QUESTÃO 14
Assinale a alternativa que apresenta o valor semântico adequado do elemento destacado no texto: “ Mas só podia trabalhar enquanto o engraxate adulto, de cadeira cativa, não chegava. Tinha, portanto, de trabalhar rápido”.
(A) Conclusão.
(B) Contradição.
(C) Adição.
(D) Explicação.

QUESTÃO 15
Portanto”, no trecho do exercício anterior, pode ser substituído, sem prejuízo de sentido, por:
(A) contudo. 

(B) mas. 

(C) dessa forma. 

(D) a fim de. 

QUESTÃO 16 
“É um livro que prende o leitor”. No sentido conotativo ( figurado), a expressão em destaque pode ser substituída por:
(A) perigoso. 

(B) cansativo.
(C) barato.
(D) envolvente.

QUESTÃO 17
Qual a classe gramatical do termo equivalente a “que prende o leitor”, apontado no exercício anterior?
(A) Verbo.
(B) Adjetivo.
(C) Substantivo.
(D) Numeral.

QUESTÃO 18
“Perguntar se vai ter festa”, “Escrever uma mensagem dando os parabéns”, “Usar para se lembrar de aniversários”, “Listar números de telefones”. Estas ações podem ser executadas, utilizando-se de um recurso tecnológico que é a(o)... 
(A) Notícia.
(B) Bilhete.
(C) Internet.
(D) Cartaz

QUESTÃO 19
Assinale a alternativa correspondente à grafia correta dos vocábulos. 
1. Mi......a     2. Vi......inho   3. Atravé......    4. Empre......a
(A) s – ss – z – s.
(B) z – s – ss – s.
(C) ss – s – z – s.
(D) ss –z – s – s.

QUESTÃO 20
Assinale a alternativa que completa corretamente todas as palavras.
1. Carr......tel          2. Mad.....ira        3. Alt......za
(A) e.
(B) i.
(C) o.
(D) u.

Fonte: UniRV - Universidade de Rio Verde

Confira o GABARITO aqui.

Estrutura da redação do Enem - o que fazer na introdução, no desenvolvimento e na conclusão?

Para que você possa redigir com proficiência, antes de se preocupar com o texto na íntegra, a macroestrutura, você precisa estar apto a redigir ou organizar a chamada microestrutura. Se a macroestrutura é o texto inteiro a microestrutura será o parágrafo. 

Logo, você só vai saber fazer redação se você souber construir o parágrafo.

Para início de conversa, não é só a redação que apresenta introdução, desenvolvimento e conclusão. Também é aspecto do parágrafo a apresentação de introdução, de desenvolvimento, e de forma facultativa, a conclusão.
Você deve começar o seu parágrafo com uma afirmação. Prossegue para o desenvolvimento confirmando aquilo que foi afirmado. Na conclusão você faz uma reafirmação.

O que fazer na introdução
Vamos começar fazendo uma afirmação sobre o tema.
  • É possível afirmar que Maria é uma grande amiga que tenho”.
Eu acabei de produzir uma tese, uma afirmação. Isso não é suficiente para formar um parágrafo. Antes de colocar o ponto final, após a afirmação que é a tese, você precisa apresentar os argumentos, ou seja, elementos confirmadores de que Maria de fato é uma grande amiga que tenho. 
  • “É possível afirmar que Maria é uma grande amiga que tenho, visto que é uma pessoa confiável e que se preocupa comigo.”
Então,
  • Tese: Maria é uma grande amiga que tenho
Qual foi a razão para eu chegar a essa conclusão?
  • Argumento 1: é uma pessoa confiável
  • Argumento 2: trata-se de alguém que se preocupa comigo
E se você quiser usar 3 argumentos não tem problema. Mas você precisa saber que quando a banca chega para corrigir o seu texto, ao ler o primeiro parágrafo ela já sabe quantos parágrafos no total o seu texto deve apresentar. Sim, porque, uma redação dissertativo-argumentativa tem como estrutura fixa o primeiro parágrafo que é a introdução e o último parágrafo que é a conclusão.
Assim, só pode variar o número de parágrafos no desenvolvimento da macroestrutura e este, acontece de acordo com o desenvolvimento da microestrutura. Então, se você colocar dois argumentos no primeiro parágrafo você será obrigado a colocar dois parágrafos no desenvolvimento; se você colocar três argumentos na introdução, obrigatoriamente terá três parágrafos no desenvolvimento.
O que fazer no desenvolvimento
No primeiro parágrafo do desenvolvimento você deve voltar e se aprofundar no primeiro argumento da introdução. No segundo parágrafo do desenvolvimento você deve voltar e se aprofundar no segundo argumento da introdução.
Por exemplo:
Se eu digo que “João é um bom pai, tendo em vista a educação de Pedro e de Flávia”, no primeiro parágrafo tenho que provar que Pedro é educado e no segundo, que Flávia é educada.
Procure usar, no desenvolvimento, exemplos da realidade. Não fique filosofando sobre o assunto, sobre conceitos, etc. Cite exemplos retirados da realidade que confirma o fato de Maria ser confiável, confirma os argumentos que embasaram a tese na introdução. É objetividade, é fato. Você usa argumentos para comprovar argumentos.
  • “Relativo à confiança que tenho em Maria, assim que me mudei para a comunidade onde moro, sem querer, atropelei o cachorro do bandido. Maria presenciou, me ajudou a esconder o cachorro morto e não contou para ninguém.”
  • “No que se refere à preocupação de Maria, estive doente, ela me visitava todos os dias, quando não me ligava e por vezes ainda me levava remédios.”
DICAS:
  • Jamais fale sobre dois argumentos no mesmo parágrafo. Isso desorienta a correção da banca.
  • Jamais divida ou desenvolva um argumento em dois parágrafos. Isso desorienta a organização do seu texto.
  • Desenvolva um parágrafo para cada argumento. É simples assim.
O que fazer na conclusão
O Enem exige do candidato a sugestão de uma intervenção social. Se o texto aborda algum problema, você deve sugerir uma intervenção, uma solução, alguma atitude ou do governo, ou da sociedade em geral, ou da família, em relação ao tema abordado. Essa sugestão de solução pode ser apresentada na introdução ou na conclusão. O melhor lugar é na conclusão.
Você deve fazer uma declaração, que reafirma o que você disse antes, por exemplo:
  • “Dessa forma, Maria é alguém de grande importância no meu círculo de amizade. Bom seria que todos os cidadãos que tenham amigos, tratassem o próximo como Maria me trata.”
3 orientações para apresentar uma boa proposta de intervenção na redação do Enem
1. Fuja das propostas vazias
Professores afirmam que nove em cada dez redações apresentadas no Enem e vestibulares são encerradas por passagens como "precisamos nos conscientizar de que", "os pais precisam se conscientizar", "o governo deve conscientizar os cidadãos". Não há mal algum em imaginar que a tomada de consciência é o primeiro passo para mudanças. Mas se essa fosse a cura para todas as doenças, bastaria realizar milhares de campanhas de conscientização para sanar todos os problemas do mundo.
O Enem espera algo mais dos candidatos. Valoriza propostas de intervenção particulares, ou seja, soluções para questões específicas. "Consciência todos devem ter, mas da consciência é preciso partir para a ação. Pense em quais atitudes concretas devem ser tomadas para que o problema seja resolvido", diz Eclícia Pereira, coordenadora de redação do Cursinho da Poli.
Confira a seguir dois exemplos, uma proposta vaga e outra mais elaborada, que tratam dos desafios para a educação do Brasil:
  • "É fundamental que o país tenha uma educação melhor"
  • "É fundamental melhorar o ensino básico público, expandir o ensino técnico e facilitar o ingresso de pessoas mais pobres ao ensino superior"
Explicação do professor: O Enem pede uma proposta detalhada de intervenção. Dessa forma, a proposta de número 2 é mais efetiva do que a primeira: ela não diz apenas que a educação dever ser melhor, mas sugere o que deveria ser feito para alcançar esse objetivo.
2. Apresente soluções realistas
Antes de apresentar sua solução ao problema proposto pela redação, é preciso refletir se sua sugestão poderia de fato ser colocada em prática. O professor Francisco Platão Savioli, do Anglo Vestibulares, conta que é comum alunos mostrarem propostas inexequíveis ou mesmo delirantes.
Entenda a diferença entre os dois tipos de propostas nos exemplos a seguir, que tratam do combate à violência:
  • Proposta pouco efetiva "A violência só será resolvida quando os cidadãos se convencerem de que são todos irmãos e precisam respeitar uns aos outros."
  • Proposta efetiva "Para combater a violência é preciso ampliar o número de policiais nas ruas, assim como treiná-los intensivamente."
3. Assuma a responsabilidade pela solução apresentada
Um erro bastante comum entre os estudantes é terceirizar o problema, ou seja, atribuir a outro a responsabilidade pela solução da questão apresentada na redação. Por exemplo: o candidato afirma que a sociedade deve atentar para o alto índice de trabalho infantil. Contudo, se esquece de deixar claro que também faz parte dessa sociedade e, por isso, tem sua parcela de responsabilidade.
Tema do Enem 2011: "Viver em rede no século 21: os limites entre o público e o privado"
Exemplos de soluções: 1. O governo deve verificar se as informações publicadas na internet estão sendo usadas de forma a não ferir a privacidade de cada um. 2. As pessoas devem sempre lembrar que uma informação publicada na internet estará disponível a todo mundo e eternamente em circulação. 
Explicação da professora Eclícia Pereira, coordenadora de redação do Cursinho da Poli: A proposta 2 é melhor. Não faz sentido o governo ter que vigiar tudo o que é publicado na internet. A responsabilidade de gerir informações entre público e privado é das pessoas que expõem seus dados na rede.

Os aspectos formais da redação do Enem

O que você vai aprender neste capítulo:
  • Eu devo colocar título na minha redação? É ou não obrigatório?
  • Eu posso usar maiúscula em todas as palavras do título? Ou só na primeira?
  • Eu posso pontuar o título? Posso pular linha do título para o início da minha redação?
  • Posso usar letra de forma na redação?
  • O que fazer quando eu rasurar a prova?
8 dicas relevantes para fazer um bom título

1. Dê sempre título ao seu texto

O título é extremamente importante. Ele costuma ser obrigatório em concursos públicos, no Enem, é opcional. Portanto, antes de qualquer coisa, quando pegar a prova, atentem para o que tem como instruções.
O título é parte constitutiva de qualquer texto. Se a banca não exige título e por um acaso você coloca título, jamais ela poderá tirar ponto de você. Mas se a banca exige título e você se esquece, aí ela pode apenar você.
Ou seja, se falta título, existe a possibilidade de você perder, com o título não há possibilidade nenhuma de perda. Portanto, toda vez que você for treinar redação, preocupe-se com o seu título, treine título também. O único texto em que você não deverá colocar título será aquele que a banca der um título antes de você começar o seu texto, ou seja, se a sua redação já vier com o título. 

2. O título deve ser sempre centralizado com maiúscula apenas na primeira palavra

Existem várias bancas de concurso público e a banca examinadora do Enem traz para si examinadores de todas elas. Existem bancas que não se importam com maiúscula em todas as palavras, tampouco com maiúscula em preposição. Nós não vamos trabalhar com exceção, mas com a regra. De acordo com a regra, você coloca maiúscula só na primeira letra.

3. Não, em hipótese alguma, pontue o título, a não ser que seja pontuação expressiva como exclamação e interrogação

Por exemplo: “Qual o problema das drogas? ”, “Brasil: que vergonha a corrupção! ” Ora, se a sua pontuação quer demonstrar algum tipo de opinião, de ironia, de crítica, ou seja, ela pode ser classificada como uma pontuação de expressão, você está autorizado a pontuar.

4. Não pule linha entre o título e o início do texto

As linhas puladas não contam na hora do seu texto ser avaliado. Então, se o Enem exige entre 8 e 30 linhas comumente, se você faz 8 linhas, pulando uma depois do título, você pode ter o seu texto desclassificado. O Enem aponta no Edital 7 linhas como a margem da desclassificação.

5. Deve ser o mais breve possível

Deve ser sintético, resumir em poucas palavras aquilo que diz o seu texto. Não queira tocar as duas margens da linha com o título.

6. Deve estar relacionado ao que você diz em seu texto

Por exemplo: O aluno resolveu fazer um texto sobre a corrupção no Brasil. Então ele cria o título: “CPI para quê? ”
Durante o seu texto ele falou sobre a corrupção no lar, sobre a corrupção na saúde, sobre a corrupção na política e em momento algum ele citou o processo de CPI.
É claro que o conhecimento de mundo do candidato e da banca permite saber que a CPIs apura verdades e inverdades relacionadas à corrupção. Mas em momento algum ele fez essa ligação. Então haveria muitas possibilidades de títulos mais felizes do que esse relacionado ao item da realidade que não foi mencionado no texto.

7. Pode apresentar pergunta

É comum criar um título como pergunta. Mas não é, necessariamente, obrigado a responder, durante o texto, aquela pergunta que você empregou no seu título.
Um recurso comum em argumentação é a chamada pergunta retórica. Ou seja, aquela que motiva uma discussão, mas que, não necessariamente, não se responde.
Por exemplo: você faz uma redação sobre a superlotação nos metrôs do Brasil. Então você cria o título: “Quantas pessoas cabem em um vagão? ” Durante o texto você vai falar sobre o processo de superlotação, o desrespeito ao vagão das mulheres, a falta de planejamento urbano e não necessariamente você vai dizer se cabe 20, 200, 300 pessoas naquele vagão.

8. Evite usar verbo

Caso use, dê preferência às formas nominais ou certifique-se de que não será repetido como tese.  Quais são as formas nominais do verbo? Infinitivo, gerúndio e particípio.
Exemplos:
  • Entendendo melhor o Brasil. (gerúndio)
  • Como entender melhor o Brasil. (infinitivo)
  • O Brasil entendido pelos estrangeiros. (particípio)
É de fato errado colocar um verbo que não esteja nessas três formas? O grande problema não é esse. O foco do problema é outro. Quando você coloca um verbo comumente flexionado no título você aumenta a possibilidade de repetir essa mesma forma verbal na introdução, na tese.
Exemplo:
  • Título: Violência contra turistas tem diminuído no Brasil.
  • Tese: É possível afirmar que a violência contra turistas tem diminuído no Brasil nos últimos anos. Isso se deve não apenas às políticas de...
A repetição de palavras passa a ser contada a partir da produção do título
Se a tese explicita sua ideia principal e se o título explicita a ideia do texto, para que isso seja coerente, o mesmo verbo do título vai estar na tese. E o que você faz? Muda o título. Pega o verbo que está conjugado e coloca em uma dessas três formas. Ou usa um substantivo qualquer, um nome ou um adjetivo.
A letra 
Outra questão que também deixa muitas dúvidas é exatamente a letra. A letra pode ser de qualquer tipo, desde que seja legível. Sempre separe maiúscula de minúscula.
A margem 
O texto é composto de blocos, parágrafos. Esses parágrafos têm que ser delimitados por uma margem, tanto na parte da direita da folha quanto na esquerda da folha. Quando você começar a escrever o ideal é que deixe um espaço (um dedo) marcando o início do parágrafo. Nunca deixe de fazer essa margem para que o corretor entenda exatamente onde começa uma parte e termina a outra. Lá na margem direita, quando a linha acaba, é preciso cuidar, tem que saber dividir por sílaba, se não vais deixar sempre uma onda na tua margem direita. A margem é apenas visual. Ela determina as partes do texto e isso é avaliado pelo corretor.
O erro 
E não menos importante, mas também um dos aspectos formais, é o erro que a gente comete ao passar a limpo a redação. Se você errou simplesmente passe um risco em cima e vá adiante. Se errou uma linha inteira, risque a linha inteira e siga fazendo a redação. Sempre arrume os seus erros. A rasura que não compromete a integridade do texto, pode deixar lá. Mas se rasurar linhas inteiras, esses erros podem ser descontados no computo final do número de linhas que você deveria escrever.

Domine a redação nos concursos públicos